Desmistificar a incontinência urinária feminina por uma vida cheia de qualidade

Desmistificar a incontinência urinária feminina por uma vida cheia de qualidade

A incontinência urinária é um problema que afeta muitas mulheres, principalmente a partir dos 35 anos. Não esconda pelo que está a passar e desfrute da sua vida sem tabus nem medos.

Mais do que a perda de urina, a incontinência urinária é também um tema tabu e que as mulheres tendem a querer esconder ou até a atrasar o seu tratamento. A desvalorização dos sintomas é um dos grandes problemas para manter a qualidade do dia-a-dia, uma vez que reconhecer o problema é um dos primeiros passos para chegar a uma solução.


As perdas involuntárias de urina são mais comuns do que imagina. É um problema que afeta muitas mulheres e que ainda continua a ser tabu por se tratar da intimidade da mulher. Não deixe que a incontinência urinária a condicione e aproveite a sua vida ao máximo.

Apesar de uma das principais causas ser o pós-parto ou a menopausa, é importante que saiba que a incontinência não é toda igual e, em todo o mundo, mais de 50% das mulheres sofrem do problema. Para além disso, é um problema fácil de resolver e outra das primeiras coisas a fazer é não deixar que o medo e a vergonha controlem a sua vida e vençam esta “luta”.

O medo de ter perdas de urina e que as pessoas à sua volta reparem pode fazer com que a vontade de sair de casa ou fazer as suas atividades diárias se desvaneça, mas uma coisa que tem de ter em mente é que já existe solução. Uma das formas de melhorar a sua incontinência urinária e de controlar as pequenas perdas de urina é através de exercício Kegel, uma forma de fortalecer os músculos da sua zona pélvica.

Não tenha receio de dizer que sofre de incontinência urinária! É um problema mais comum do que imagina e quanto mais cedo falar sobre o assunto, mais cedo receberá o melhor tratamento.

Apesar de existirem soluções, as mesmas devem ser aconselhadas por um médico especialista. Assim, se sentir que está a perder urina, deve dirigir-se ao médico para perceber que tipo de incontinência tem através de exames que são feitos de forma rápida.

Muitas mulheres sofrem do mesmo problema, por isso, é importante que não se sinta sozinha neste momento. Não se esconda por trás do problema e fale sobre o assunto, até porque ao questionar alguém sobre o “Eu tenho, tu não?”, a resposta do outro lado pode vir a ser um “sim”.

Para descobrir mais sobre este assunto e ver todas as suas dúvidas a serem respondidas, acompanhe a iniciativa “Eu tenho, tu não?”, no Jornal de Notícias e Delas, um projeto que desmistifica a incontinência urinária feminina e lhe dá a descobrir, pela voz de mulheres que sofrem de incontinência, que não há nada a esconder.

Artigos Relacionados

Incontinência urinária feminina: tudo o que precisa de saber sobre os sinais e sintomas

Incontinência urinária feminina: tudo o que precisa de saber sobre os sinais e sintomas

Quais são os principais sintomas de incontinência urinária? O que está na sua origem? Esclareça...
LER MAIS
Uma conversa sem tabus sobre incontinência urinária

Uma conversa sem tabus sobre incontinência urinária

A incontinência urinária é um assunto proibido e até um pesadelo para muitas mulheres, mas...
LER MAIS

Leave a Reply